first

abril 26, 2014
Mayra Caju Warren

no comments

Quibe Vegetariano // Vegetarian Kibbeh

Nós brasileiros amamos quibe. Pronto, falei. Quibe a gente come desde criancinha nas festinhas de aniversário. Frito, assado, cru, de qualquer jeito! Ter trigo para quibe (também conhecido como triguilho) em casa é tão comum quanto ter arroz e feijão na despensa. Eu amo, amo, amooooo tudo com trigo pra quibe!

Toda semana aqui em casa eu faço Tabouli Cajureba, uma ótima opção de almoço, jantar, lanche… o que for! Agora, depois da minha revolução ayuveda, aprendi a fazer o Quibe Vegetariano! Mais uma linda opção de qualquer coisa!

Esta receita eu fiz com todas as verdurinhas que tinha na geladeira. Não tava a fim de ir no sacolão, então peguei a xepa da geladeira e botei tudo no quibe! Achei o máximo poder fazer isso! Então compartilho com vocês!

Quibe Vegetariano Cajureba

Desculpa, mas a fome era tanta que não deu tempo de tirar foto antes de alguém tirar um pedação!

Desculpa, mas a fome era tanta que não deu tempo de tirar foto antes de alguém tirar um pedação!

Ingredientes:

2 xícaras de triguilho (ou trigo para quibe) de molho na água por 10 minutos
Legumes diversos ralados e bem picadinhos: cenoura, abobrinha, tomate, cebola (o que tiver na geladeira!)
Temperos verdes: hortelã, salsinha, cebolinha
3 colheres de sopa de óleo de girassol
Especiarias: 1 colher de chá de uma misturinha com pimenta síria (ou  garam masala), coentro moído, pimenta do reino, sal.
Opcional: 1 xícara de tofu ou ricota amassadinho, ou, como eu não tinha nada disso, coloque uma fatia de mussarela por cima, pra dar um tchan!

 Como preparar:
Hidrate o triguilho em água morna por 10-15 minutos. Misture tudo com a mão e espalhe em uma travessa untada.
Assar em fogo médio/alto por 35 a 40 min.

E pronto! Agora é só saborear! Sugiro colocar um pouquinho de tahine (Se você não tem tahine em casa, vai comprar! Rápido! É uma delícia e super saudável!) no canto do prato e dar uma misturadinha no quibe para um sabor diferente! Colocar um molho de pimenta também! Ai, que delícia!!!

Enquanto assa, dá uma olhada aqui nos benefícios do triguilho à saúde e algumas curiosidades também:

  • a palavra kubbe, em árabe, significa “bola”. Por isso, originalmente, o quibe que conhecemos e consumimos não passa de uma bola de carne enrolada em trigo e fritinho… huuummm!
  • o triguilho é tipo um grão de trigo enrustido, que não cresceu. Então ali estão todas as propriedades integrais! Segundo este site, ele é fonte de nutrientes do complexo B, amido e diversas proteínas. E tem mais: potássio, zinco, magnésio, selênio e vitamina E (bom pra pele!).
  • como todo grão integral, o triguilho é fonte de fibras e ajuda o intestino a funcionar melhor, prevenindo a prisão de ventre quando associado à ingestão adequada de água. Fibras também ajudam a gente a se sentir mais saciado, ajudando na manutenção e no controle do peso.

E mais uma curiosidade… uns anos atrás fiz um curso de culinária ayurveda com as meninas do Espaço Cardamomo — Glenda e Ananda — e elas fizeram uma receita deliciosa com triguilho orgânico. Gente, nunca mais achei pra comprar o tal triguilho orgânico, mas se você tiver a oportunidade, compre. Vale a pena. O sabor e a textura são completamente diferentes do trigo para quibe que a gente acha por aí no supermercado!

/// Read it in English here>

Anúncios

abril 15, 2014
Mayra Caju Warren

no comments

Pastinha de Cenoura // Zesty Carrot Dip

Já contei para vocês das minhas andanças pelo mundo ayurvédico, né? Quando se faz um tratamento desses que eu fiz com a Thaís, rola de tudo, até uma aulinha de culinária! Sem contar que ela passa várias receitas para a gente ir experimentando. Então, com a autorização dela, claro, vou compartilhar com vocês esta receita de uma pastinha gostosa e saudável, que fiz na aula com a Thaís e que depois fiz sozinha, em casa, para a minha família e meus amigos. Dá pra comer com pão, com chapati, com bolacha, com arroz, com o que você quiser! Meu novo vício!
Primeiro um detalhe… no dia da aula de culinária a pastinha que eu fiz com ela ficou assim:
Essa outra aí do lado, a roxinha, vocês aguardem que eu passo a receita assim que eu fizer sozinha, tá? O chapati também!
Agora dá uma olhada na pastinha que eu fiz sozinha:
Meio verde demais? O problema é que a receita dizia “sal e temperos verdes a gosto”! Heheheheh, exagerei na salsa um pouquinho!
Agora é a sua vez de tentar! Bom apetite!
photo

Pastinha de Cenoura

Ingredientes:
2 cenouras grandes
1 pedaço generoso de gengibre
sal e temperos verdes a gosto (eu usei uns dois punhados de salsa picada e um raminho de alecrim)
azeite de oliva para dar o ponto
suco de 1 limão
Preparo: Cozinhe bem as cenouras, escoe a água, passe-as na água fria.
Jogue as cenouras cozidas e todos os outros ingredientes no liquidificador.
Enquanto bate, vai jogando o azeite aos poucos para que dê o ponto de pastinha

Read it in English here

abril 14, 2014
Mayra Caju Warren

1 comment

Meditar // Meditate

Imagem

Quem nunca viu uma figura como esta e pensou “ah, essa aí podia ser eu”?

Eu pensei muitas e muitas vezes, anos a fio e fazia exatamente NADA para que isso efetivamente acontecesse. Eu lia as coisas que as pessoas escreviam sobre meditação e pensava que jamais uma mente inquieta como a minha podia simplesmente se anular e ficar lá, quietinha, toda zen.

Os benefícios da prática de meditar são conhecidos de todos nós. Mesmo assim, antes de dar uma daquelas dicas valiosas sobre como fazer, vou enumerar as 5 mais importantes, na minha opinião:

  1. Aprender a lidar melhor com o estresse e a se segurar nos momentos mais desesperadores da vida. (essa até provaram cientificamente);
  2. Experimentar a sensação que fica no corpo e na mente após meros 15 minutos de meditação;
  3. Sentir que as ideias estão “organizadas”, que você dedicou preciosos minutos do seu tempo para você;
  4. Respirar profundo e se sentir arejada, purificada;
  5. Levar essa sensação para o resto do seu dia, e utilizar os mantras e a respiração ao longo do dia para resgatar esse sentimento de paz interior.

Quando a gente estuda o Reiki ou mesmo Yoga, a meditação é componente indispensável e está presente em todas as religiões. Então por que você ainda não tentou. E se tentou, por que ainda não deu certo?

Imagem

Para mim, deu muito certo utilizar um serviço gratuito, disponível na Internet (em inglês), que é o 21-Day Meditation Challenge do Deepak Chopra. Já falei que adoro esse homem? O sistema é muito simples. Basta se inscrever pelo site e você recebe um e-mail todo dia com o link para você praticar. É um tipo de meditação guiada que utiliza música e mantras para te levar ao estado meditativo. No começo é mais difícil, mas se você insistir e fizer todos os 21 dias, garanto que não terá problemas em meditar tranquilamente sozinho.

Ainda não se convenceu? Dá uma olhada neste vídeo… olha só quanta coisa maravilhosa pode acontecer com você se você simplesmente fechar os olhos e respirar!

Read it in English here!

abril 11, 2014
Mayra Caju Warren

no comments

Vegetariana Meio-Período // Part-time Vegetarian

Carne é um troço gostoso de comer, mas é obtida de um jeito cruel, vergonhoso, triste. Carne faz parte da cultura da gente, remete à infância, ao lar! Só que matar um ser inocente, só para satisfazer um prazer é desumano. E tem mais, a produção da carne de vaca, principalmente, é muito prejudicial ao meio ambiente! As vaquinhas emitem gases que poluem mais que os carros e os incêndios. Sem contar na derrubada de árvores para fazer pastagens, na quantidade de água que se utiliza. E se for pensar em nutrição, não é legal mesmo! Carne vermelha é super difícil de digerir (isso não precisa ser gênio para descobrir), e a vaquinha que você come não necessariamente se alimenta de matinho. Come sal, come ração, toma vacina pesada! E também não é essencial à vida comer carne, isso já foi comprovado por um zilhão de estudos e por um batalhão de vegetariano que tá aí, vivinho da silva!

Então o que fazer? Viver nessa dúvida, comendo com culpa?

Não, né, gente! O que se faz é reduzir, reduzir até acabar de vez! Cortar de uma vez um hábito é complicado, doloroso. Mas ir cortando aos pouquinhos é salutar! O seu impacto diminui, sua saúde melhora! Melhora mesmo! Não é inteiramente certo esse papinho que a proteína da carne é essencial para a sobrevivência humana! Duvida? Então leia isso aqui. E isso aqui também, já que não acredita em mim! Mas mesmo assim, você vai encontrar um monte de argumento contra retirar a carne inteiramente do seu cardápio. Então que tal ser vegetariano meio-período?

Fonte: Folha de S Paulo.

Fonte: Folha de S Paulo.

Eu posso contar minha história? Quando morava nos EUA, e em Cuiabá, comer carne era bem normal na minha vida. Comia peixe muuuuuuito de vez em quando. Aos poucos, morando em Floripa, comecei a apreciar um peixinho, frutos do mar, pratos com frango. E a vida foi ficando mais leve, mais natural e não dava mais para colocar a carne nesse meio. Não vou a uma churrascaria há pelo menos três anos. A última vez que fui, passei mal por dois dias. Simplesmente não vale mais a pena. Depois da desintoxicação ayurveda que eu fiz, comer carne ficou muito complicado. Já tentei, de leve, mas não dá. Passo mal, não digere e isso leva a engordar e perder a saúde que conquistei a duras penas. Então, agora ouça a minha proposta:

Não peço que você vire vegetariano. Que corte de vez a carne (especialmente a carne bovina) da sua vida. Só peço que por um dia na semana você não coma nenhum produto animal. Faça isso por você, pelos animais e pelo meio ambiente. Vale a pena tentar!

ceb9c91594334a761e3b27f9d4328556

Read it all in English right here!

“Nós não podemos falar sobre a nossa própria saúde, sem compreender o nosso lugar em nosso meio, pois, a fim de cumprir o nosso potencial que temos para viver no contexto de nosso entorno, temos que saber nosso lugar no ecossistema do qual fazemos parte, e isso significa viver ‘consciente’: estar consciente da natureza e como isso nos afeta e como nós afetamos a natureza. “

― Sebastian PoleDiscovering the True You with Ayurveda: How to Nourish, Rejuvenate, and Transform Your Life

abril 9, 2014

“We can’t talk about our own health without understanding our place in our environment, because in order to fulfill our potential we have to live in the context of our surroundings.
We have to know our place in the ecosystem of which we are a part, and this means living ‘consciously’: being aware of nature and how it affects us and how we, in turn, affect nature.” 

― Sebastian PoleDiscovering the True You with Ayurveda: How to Nourish, Rejuvenate, and Transform Your Life

abril 9, 2014

abril 8, 2014
Mayra Caju Warren

1 comment

Ciência da Vida // Science of Life

O ano de 2014 começou bem animadinho para mim! Muito trabalho no Crepe Soleil durante a alta temporada e assim que o carnaval acabou, eu estava mal, sem energia, exausta de três meses de correria e um pouquinho acima do meu peso ideal. Essa do peso na verdade já faz um bom tempo, mas com o verão, você sabe… cerveja, stress, e comilança tarde da noite. Então o resultado é que precisava de um incentivo para voltar pro meu foco!

Foi aí que resolvi buscar uma nova solução — a medicina ayurvédica. Nominho complicado, né? Eu explico aqui embaixo…

Ayurveda: Ciência da Vida

images

A Ayurveda (Ayur = vida/Veda = ciência) é o sistema de saúde mais antigo do mundo, uma medicina natural e holística que preconiza um viver equilibrado através de práticas diárias adequadas e adaptadas para a realidade de cada indivíduo. Viver de acordo com a sua natureza, previne, ameniza, e cura possíveis doenças. Para Ayurveda, ter saúde não é um fim em si mesmo, mas o meio para despertar a Consciência, e assim, realizar nossa missão (dharma).

O programa ayurvédico de tratamento, é um processo de profundo de auto-conhecimento, desintoxicação e rejuvenescimento, que inicia com uma consulta minuciosa e prossegue com orientações de ervas medicinais, desintoxicação, rotina diária e alimentação; terapias corporais; aulas de yoga e culinária; arteterapia; entre outras ferramentas como meditação, contato com a natureza e exercícios físicos. O objetivo do tratamento é instruir e evoluir com a pessoa para que depois, ela siga caminhando com as próprias pernas.

(Fonte: Shamana Veda)

Os doshas

Assim que eu comecei a ler sobre os doshas eu já logo me identifiquei com o Kapha. Mas mesmo assim tentava me iludir que não era eu a estrutura robusta, tendência a ganhar peso, grande … Isso para mim tudo queria dizer GORDA. Mas tudo bem, é um processo de aprendizado, autoconhecimento. Agora eu até gosto de ser Kapha! Gosto de me entender, me aceitar… Bem antes de conversar com a terapeuta eu já sabia que era Kapha com uma pitada de Vata. Mas isso não te interessa. Tente você mesma (ou mesmo) descobrir sobre o seu próprio dosha. Para saber com certeza, procure um terapeuta. Mas se quiser ir tentando se achar, leia isto aqui, que eu trouxe do site do Shamana Veda:

Os doshas são a nossa constituição psicofisiológica, que é determinada no momento em que o óvulo de nossa mãe se uniu ao espermatozóide de nosso pai, dando forma a nossa natureza metabólica, imutável para o resto de nossas vidas. Em outras palavras, é a maneira que sua alma decidiu expressar-se nesta vida, através do funcionamento deste veículo corpo-mente.  

Tendências, talentos, estrutura física, características peculiares e desequilíbrios, são explicados e entendidos através desse modelo ayurvédico de doshas. Para nós, essa constituição serve como guia para orientar ações e escolhas que promovam saúde e despertem nosso potencial pleno. Podemos ter muitas surpresas positivas e evitar muitos problemas quando vivemos de acordo com essa natureza. Dosha também significa aquilo que faz adoecer, aquilo que faz decair, porque se os doshas saem de seu estado natural, eles causam doenças.

Aqui tem uma explicação das características básicas de cada dosha. E meu amigo Deepak Chopra tem um quiz aqui que você pode fazer para tentar se encontrar (em inglês). Mas vou falar de novo: só na entrevista com a terapeuta você poderá ter certeza absoluta, tá?

Os meus amigos

Amigos

Eu tenho três amiguinhos que me introduziram no mundo ayurvédico. O primeiro é o Deepak Chopra. Tudo bem que ele não sabe que é meu amigo, mas ele é! Gente, esse homem me ensinou muita coisa! Eu já li e ouvi (amo audiolivros) um monte de livro dele e volta e meia lá tá o homem falando de Ayuveda! E ele tem altos programas de meditação guiada e altas newsletters que me fazem sorrir!

Também aprendi com as minhas amigas Lê e Ju. A Lê, antes de gerar as gêmeas mais lindas desse mundo, Mari e Analu, fez duas desintoxicações ayurvédicas e a gente passava horas e horas falando das maravilhas da sabedoria desse povo que inventou essa benção! A Ju fez o tratamento dela na Shamana Veda. E ficou magra, linda e saudável que só vendo. E é lá que eu fui! Também quero ficar magra, linda e saudável que só vendo!

O meu tratamento

1379346_10153941912920696_454176032_n

Quando comecei, conversei muito com a minha terapeuta, Thaís Andrade (olha ela aqui em cima … lindona, né?) Ela descobriu o meu dosha (Kapha-Vata) e acertou em cheio a maioria dos problemas que eu tenho desde criancinha com digestão, energia, saúde da pele. Começamos com uma dieta tranquila, com poucas alterações ao meu dia-a-dia. Gradualmente entramos em tratamentos mais intensos, como massagens, esfoliações, limpeza nasal e do intestino, yoga, arteterapia. Aos poucos vou contando mais para vocês sobre esses processos.

O período de tratamento foi de pouco mais de um mês. Meu encerramento é nesta semana, com uma aulinha de culinária e a última sessão de arteterapia. Aí pensei, chegou a hora de compartilhar com vocês o que eu aprendi sobre mim mesma e sobre o meu corpo. Então, a partir de hoje, vamos falar um pouquinho de Ayurveda.

Fiquem ligados! Até logo! Read it in English!

#100happydays

abril 7, 2014


No dia 21 de março comecei um desafio: feliz por 100 dias. E não é só ser feliz, é compartilhar a felicidade. Trata-se do #100happydays, um movimento internacional que propõe uma coisa bem simples – o exercício da gratidão diária. Quer saber mais e se inscrever? Acesse: http://www.100happydays.com/pt/

E se quiser ver os meus 100 dias felizes, acesse o meu Instagram!

On March 21st I started a challenge: happy for 100 days. Sounds easy enough, but it is not just to be happy, it is to share the happiness! It’s the #100happydays an international movement whose main focus is to help you practice gratitude. Want to find out more about this? Go to http://www.100happydays.com and sign up!

And if you want to see my 100 happy days, go to my Instagram!

abril 7, 2014
Mayra Caju Warren

1 comment

Bem-Vindo // Welcome

Este é o novo Cajureba! Um blog sobre alimentação, estilo de vida, coisas gostosas e saudáveis, coisas que transcendem a mesa e o dia-a-dia. Comecei este blog em 2010 e desde então passamos juntos, eu e o Cajureba, por muitas transformações.

Tivemos períodos de separação, de poucas postagens, de inspiração curta e fugaz. Mas estava lá, sempre na mente retomar o Cajureba. E retomei. Agora quero um espaço bilingue, que se pareça comigo, que também misturo tudo.

Espero que gostem do novo layout e proposta! E que contribuam com suas ideias e dicas também!

Namastê!

Mayra Cajueiro Warren (a Cajureba)

////

This is the brand-new Cajureba! It’s a blog about eating and drinking, lifestyle, delicious and healthy things, things that transcend the table and the everyday life. I started this blog in 2010 and since then, we’ve been through many transformations, both of us, Cajureba and I.

We’ve had time apart from each other, of few posts, short and fast inspiration periods. But it was always there… like a bug in my mind to take it back. And so I did. Now I want this billingual blog, something that is very similar to myself — fond of mixing it up!

I hope you enjoy the new layout and the whole idea behind Cajureba. And please, contribute with your ideas and hints!

Namaste!

Mayra Cajueiro Warren (Cajureba herself)

setembro 2, 2013
Mayra Caju Warren

no comments

Coisas boas da vida – Greicy Cake

Eu sempre me emocionei com a grandeza da vida! São tantas as oportunidades para a gente se aperfeiçoar, ser melhor! A vida constantemente nos dá chances de crescer. Só não vê quem não quer.

Um desses novos encontros foi com a Greicy Vedana, esposa do meu amigo e colega de trabalho Airton Jordani. A Greicy é a proprietária da empresa Greicy Cake, e faz bolos e pães maravilhosos e toda semana eu peço o meu preferido: Bolo Integral de Maçã com Nozes! É de comer e sorrir!

Por isso, trouxe a história dela aqui pro Cajureba, para que mais pessoas conheçam e experimentem a maravilha que sai da cozinha da Greicy! Deliciem-se!

Cuca integral da Greicy!

Cuca integral da Greicy!

A Greicy me contou que é importante quando a gente compra pães e bolos, que eles tenham farinha de trigo integral! O difícil é achar um pão que seja 100% integral!

Pão integral com cereais. M-a-r-a!!!

Pão integral com cereais. M-a-r-a!!!

“O uso da farinha integral é de grande valia, pois ela apresenta todos os componentes benéficos do farelo – fibras, minerais e vitaminas. As fibras da farinha integral auxiliam na prisão de ventre, além de causar a sensação de saciedade em poucas mordidas, evitando os ‘beliscos’ entre as refeições. O amido presente nesse grão de trigo é bem mais resistente que na farinha branca, ou seja, ele imita esse comportamento das fibras e dá a saciedade. O amido na farinha branca é absorvido em 20 minutos aproximadamente. Já no integral ele permanece por muito mais tempo”, explica a Greicy.

A nossa “boleira” de plantão também esclareceu que a farinha integral só não é a favorita dos “boleiros” por aí porque ela não cresce muito, não dá aquele pão grandão, porque tem pouca quantidade de glúten. “Por isso que muita gente não usa, é difícil conseguir um pão super crescido com essa farinha. Só que as pessoas se esquecem do valor nutritivo dela”, complementa.

Confira algumas das respostas da Greicy!

Cajureba: Você sempre gostou de cozinha? De fazer bolo?

Greicy Cake: Sempre gostei muito de doces e bolos… a cozinha tradicional do dia a dia não me encantava tanto. Achava mágico ver minha avó cozinhar no fogão a lenha, mas o bolo pronto sempre me fascinou mais – a química que ocorria da massa crescer e virar aquele bolo fofo e saboroso.

C: Como começou a desenvolver esse seu dom?

GC: Sempre adorei fazer bolos e doces, testar receitas e fazer as sobremesas dos encontros de família. Além de gostar de produzir os bolos, gostava de presentear com algum doce. Acredito que desde que me foi permitido o acesso a cozinha eu desenvolvo os dotes, sempre me inspirei muito na minha avó, nos merengues que ela fazia, biscoitos. Sinto até hoje o gosto e o cheiro da cozinha dela.

C: Há quanto tempo existe Greicy Cake? Como começou?

Torta de chocolate KitKat! Fofaaa!

Torta de chocolate KitKat! Fofaaa!

GC: Greicy Cake existe desde 2007. Tenho como marco inicial o primeiro bolo em pasta Americana. A ideia era o bolo de aniversário da minha sobrinha Luna, eu e o Jordani (marido dela!) pensamos numa ideia diferente, ela na época adorava o desenho do Shrek e decidimos fazer um bolo com o rosto do personagem. Bom, foi a sensação da festa e um sucesso! A partir dele começaram a surgir pedidos e então, comecei a pensar seriamente em investir nessa produção, pois adorei fazer e principalmente conferir o resultado na festa, as crianças felizes e encantadas.

C: Qual é o sentimento que você tem quando prepara uma fornada?

GC: É sempre um ritual. É um prazer muito grande preparar o pão, um alimento tão sagrado, para outra pessoa. Saber que o meu pão vai estar presente na refeição de outra família. Então pra mim é uma honra, como se eu estivesse sentando à mesa com essas pessoas.

Começo a preparação da fornada no dia anterior, separando os insumos e utensílios que serão utilizados na produção. No dia da fornada levanto bem cedinho, pois o pão é um alimento que demora até estar definitivamente assado e pronto para ser embalado, então, dia de fornada é dia de madrugar, uma boa música sempre acompanha o trabalho, ajuda a me concentrar e é um estímulo a mais, pois é um momento de muita felicidade e carinho.

Cada massa leva um pouco da minha energia e do meu astral, então, o importante é estar em boa sintonia, são bons sentimentos e boas vibrações despejados em cada grama de farinha, pois acredito e desejo que cada pessoa que for consumir possa se contagiar com essa boa energia para ter um ótimo dia.

C: Como você definiria em até cinco palavras o cheiro de pão ou bolo saindo do forno?

GC: Infância, carinho, sabor, família e prazer

C: E a alimentação integral/natural, como começou a adotar?

GC: Em 2011 enquanto cursava o curso de Padeiro/Confeiteiro do SENAC surgiu a ideia de começar a produzir visando mais esse lado integral. E então surgiu o convite de um amigo que expõe na feira de Ecológicos da Redenção, em Porto Alegre, para pensar em produtos para a banca dele. E a partir daí comecei a desenvolver os muffins integrais e logo após veio o pão, e não parei mais! Adotamos em casa o pão integral e cada vez mais comecei a substituir o uso da farinha branca e a pensar em produtos nessa linha.

C: Que efeitos você acredita — por experiência própria e conhecimento adquirido ao longe de muitas e muitas fornadas — que possa ter uma pessoa trocar o convencional pelo integral? Na sua vida, na sua saúde e na saúde da sua família, já notou alguma diferença na alimentação e resultados?

GC: É notória a diferença em usar a farinha integral na alimentação. Percebi que a diminuição do consumo da farinha branca nos trouxe muitos benefícios, como uma melhor digestão, a sensação de “estufamento” que a farinha branca nos causa não sentimos com a farinha integral; assim como a saciedade, ao comermos um pão integral nos saciamos com muito menos fatias do que com um pão branco. Uma boa preparação com a farinha integral pode ser tão saborosa quanto aquela feita com a farinha branca.

Muffins!

Que fome!

C: E os bolos de festa, como é fazer? Qual foi o bolo que você mais se orgulhou de fazer?

GC: É muito gostoso! Tudo começa assim que o tema é escolhido pelo cliente, a partir disso vou construindo o projeto, mentalizando as cores, texturas e como será executado. Cada detalhe é minuciosamente pensado e anotado. São alguns dias de trabalho até chegar ao resultado final.

Difícil eleger um favorito, pois cada um tem a sua história e peculiaridade, alguns foram mais fáceis de executar, mas nem por isso deixaram a desejar no quesito desafio cumprido e orgulho de ter feito. Me sinto honrada cada vez que um cliente me escolhe pra fazer parte da sua festa, pois o bolo é o detalhe central da festa, é uma grande responsabilidade assumida.

C: E pra terminar, escreva um pouco sobre você, quem é Greicy, o que faz, como as pessoas podem entrar em contato, etc.

GC: Sou uma pessoa que ama o que faz, amo estudar e aprender cada vez mais. Estou sempre buscando aprimorar meu trabalho e me empenho em estar sempre atenta às novidades sem perder o encanto pelo artesanal. Aliás, prezo muito isso, em tudo o que faço levo junto esse aspecto do rústico, artesanal.

Dica Cajureba: a Greicy faz fornadas semanais, e tem uma lista de e-mails dos clientes. Alguns dias antes da fornada sair, ela envia um e-mail avisando o que sai na fornada da semana e assim é muito fácil fazer o seu pedido e combinar a forma de entrega. As fornadas saem às terças e quintas. Já os bolos decorados exigem no mínimo uma semana para encomendar.

O e-mail de contato é greicy@greicycake.com.br ou pelo telephone (48) 9688-8857.

Saiba mais no site da Greicy Cake ou curtindo a página dela do Facebook!

Lanternas do caminho

"O que for feito com a criança não durará apenas o instante imediato, mas a vida toda" Rudolf Steiner

The Phd Mama

A Parenting & Multicultural Lifestyle Blog

Âncora Sandubar

Rio Tavares, Florianópolis, Brasil

Espaço Cardamomo

O Cardamomo é uma sementinha aromática muito utilizada na culinária indiana, que além de dar um sabor especial aos pratos doces, possui propriedades terapêuticas que auxiliam na digestão, aumenta ojas (imunidade) e favorece o rejuvenescimento, experimente!

palavras de magno

um portal de opiniao entrevistas contos e tudo que tiver direito

Funny for Nothing

The world as I see it

Boa Viagem

Viajando por aí!

Flor e chá

Moda inclusiva, acessível e inspiradora

Paredes Móveis

Coisas do Cotidiano

Illustrated Bites

an illustrated food blog

Portfólio

Uma coleção de trabalhos jornalísticos

Finger, Fork & Knife

I'm Kate and Finger, Fork and Knife is where I record the recipes that excite, nourish and inspire me. I focus on wholesome, high-nutrition, home-cooked food - recipes that satisfy and delight. Welcome!

the amused bouche

modern motherhood · real food · cultivating creativity | by cory cleland

%d blogueiros gostam disto: